Porosidade capilar é outro termo que vale a pena conhecer. Diz-lhe bastante acerca da estrutura do seu cabelo, como se comporta na estilização, como cuidar dele e quais são os problemas mais comuns.

O cabelo não tem uma estrutura macia. Ao contrário do que acreditamos, o cabelo não é macio como uma folha de vidro. A sua camada externa é composta por escamas da cutícula – camada calosa de queratina. É perfeitamente visível no microscópio: as escamas parecem tijolos que se sobrepõe. O cabelo humano é constituido por 7-10 camadas de escamas. As escamas nem sempre se agarram ao cabelo– podem levantar-se numa menor ou maior escala. As lacunas e buracos na camada da cutícula definem o estado do cabelo e a sua porosidade. Quanto mais as escamas estão levantadas, maior a porosidade que terá influência direta no aspeto e estado do cabelo.

Há 3 tipos de porosidade:

POROSIDADE BAIXA é característica de cabelo que é macio e pesado, difícil de nutrir, que fica facilmente pesado com cuidados de saúde inapropriados. Não há uma circulação sanguínea adequada no couro cabeludo. Cabelo e couro cabeludo oleoso. O cabelo com porosidade baixa não tem volume e é difícil levantar a raiz.

POROSIDADE MÉDIA é característica de cabelo que é bastante fácil de estilizar, mas que não aguenta por muito tempo devido à fraqueza dos folículos capilares. O couro cabeludo pode tornar-se oleoso enquanto que as pontas se tornam secas. O cabelo com porosidade média tem escamas ligeiramente levantadas. Devido a isso, os nutrientes têm acesso fácil, mas também as toxinas podem penetrar no cabelo sem qualquer dificuldade. O cabelo é propenso a danos, perda e brilho e elasticidade.

POROSIDADE ALTA é característica de cabelo seco e danificado. As suas escamas estão fortemente levantadas. O cabelo é áspero e perde hidratação. As pontas estão espigadas. É extremamente difícil nutrir cabelo com porosidade alta. Os nutrientes não conseguem permanecer na estrutura capilar devido às enormes falhas na camada de queratina.

Se quer que os seus cuidados capilares sejam bem sucedidos, tem de adequar os produtos à porosidade capilar. Isso permite que as fórmulas combatam os problemas característicos de determinado tipo de porosidade.

Os óleos são feitos de moléculas de diferentes tamanhos, dependendo dos ácidos gordos dominantes. As moléculas podem penetrar nas falhas da estrutura capilar e fornecer os máximos efeitos. Por outras palavras: os óleos naturais satisfazem as necessidades do seu cabelo, oferecendo cuidados completes e reparação.

O tamanho das moléculas depende das proporções de ácidos gordos de um determinado óleo. Por isso, se conhece a sua porosidade capilar, deve escolher óleos com tipos específicos de ácidos gordos. A melhor ideia é escolher uma mistura pré-feita de óleos naturais, adequada a cada tipo de estrutura capilar.

Considerando o tamanho das moléculas e conteúdo de ácidos gordos, existem três tipos de óleos. Cada um corresponde a determinado tipo de porosidade.

1. Óleos e manteigas penetrantes com a maior parte de ácidos gordos saturados. As suas moléculas são pequenas e uma correspondência ideal para cabelos com porosidade baixa já que não pesam no cabelo. Dão suavidade e leveza.

– Porosidade baixa gosta dos seguintes óleos: coco, babaçu, palma, cupuaçu, pinheiro, cacau e carité.

2. Óleos de penetração média com a maior parte de ácidos gordos monoinsaturados ómega 7 e ómega 9. As suas moléculas de tamanho médio são perfeitas para cabelos com porosidade média. Estas dão brilho, protegem dos danos e do calor, embelezam e previnem enfraquecimento e o frisado.

– Porosidade média gosta dos seguintes óleos: camélia, moringa, buriti, alperce, macadâmia, argão e amêndoa.

3. Óleos não penetrantes com a maior parte de ácidos gordos polinsaturados ómega 3 e ómega 6. São constituídos por moléculas grandes – ideais para estruturas capilares com porosidade alta. Tais óleos tem a capacidade de reparar em profundidade, adicionar movimento e proporcionar o nível de hidratação adequado.

– Porosidade alta gosta dos seguintes óleos: sementes de uva, abacate, semente preta, onagra, girassol.